Páginas

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Resenha: Poliana, de Eleanor H. Porter

Título: Poliana
Autora:Eleanor H. Porter
Tradutor: Paulo Silveira
Editora:Pocket Ouro
ISBN 978-85-7955-009-6
 
Narrativa que impressiona leitores do mundo todo pela intemporalidade de temas que fazer de Poliana uma obra eterna e ainda hoje um grande sucesso, pois resgata valores pessoais como bondade, respeito e solidariedade. É a comovente história de Poliana, órfã de pai e mãe, que vive muitas dificuldades mas aprende com o pai, um homem sábio, o "jogo do contente", que a fortalece no dia-a-dia. Então o ensina aos outros para transmitir algo bom. A obra desencadeou nos EUA e no mundo uma impressionante onda de esperança, otimismo, boa vontade e sensibilidade às questões alheias. Uma verdadeira batalha de humanização!! 


Em Poliana, Eleanor H. Porter narra a história de uma menina orfã que aprendeu a ver o que há de belo na vida, não importa a situação. É uma linda história, narrada em um estilo simples e agradável. É também o tipo de história que encanta qualquer leitor, que altera nossa percepção sobre as belezas e as dificuldades da vida. É o tipo de livro que todas, todas as pessoas deveriam ler - não importa a idade. Se você ainda não leu está perdendo tempo!

Poliana é uma menina orfã que após a morte do pai muda-se para a casa de sua tia materna, que até então era uma completa desconhecida para ela, e ensina todo uma cidade a jogar o jogo do contente. A menina aprendeu o jogo do contente com o pai, reverendo de uma humilde paróquia, quando ganhou nas caixas de doação uma muleta ao invés da boneca que esperava. Vendo a decepção da menina por não ter ganho o brinquedo que desejava, o reverendo diz a Poliana que ela deveria ficar contente com as muletas, contente por não precisar usá-las... e assim Poliana aprendeu a jogar o jogo do contente e não parou mais de jogá-lo. Com todas as dificuldades da casa nova, da tia que Poliana não conhecia e que não queria saber de crianças, da falta do pai e de todas as mudanças, Poliana não deixa de jogar o jogo do contente, tirando as lições mais positivas de todas as situações que se depara. Além disso, a menina ensina a todos que encontra como jogá-lo e muda a forma como as pessoas vêem a vida e a si próprios. É um belo livro cuja leitura deveria ser obrigatória... Eu recomendo!

4 comentários:

  1. Adoro este livro!

    Tem uma frase de Machado de Assis que, na minha opinião, descreve bem este livro: "A arte de viver consiste em tirar o maior bem do maior mal"

    http://leitoraassidua.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. legallllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll

    ResponderExcluir
  3. legallllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll

    ResponderExcluir
  4. amei este livro e uma historia muito incrível, de uma menina super interessante que faz as pessoas mostrarem o lado bom que nem elas reconheciam.

    ResponderExcluir