Páginas

sábado, 16 de junho de 2012

Sacola de compras #3

As comprinhas desse mês foram no site das Casas Bahia (que eu nem sabia que vendia livros!) comprei os livros por menos de R$8,00 cada exemplar... curti muito ; ) Eis as aquisições:

Jo Becker é uma respeitada profissional de medicina veterinária, esposa dedicada e mãe de três filhas crescidas. Está estabelecida, com seu marido, Daniel, numa pequena cidade de Massachusetts. Às vezes, quando ela se sente insatisfeita consigo mesma, olha para suas filhas e seu marido, evocando sua vida familiar.Um dia ela recebe para consulta em sua clínica, Artur, o cão de estimação da professora de sua filha mais nova. Recém-chegada na cidade, Jean ainda não conhece ninguém e ela acaba descobrindo que Jean é casada com Eli, um amigo dos velhos tempos.As lembranças de sua vida passada fazem-na reviver um tempo de alegria e irresponsabilidade, numa comunidade em Cambridge, onde todos viviam em paz e harmonia, mas que terminou com o brutal assassinato de sua grande amiga Dana. Toda a estrutura de Jo começa a desmoronar quando ela reencontra Eli e se sente seduzida pela empolgante possibilidade de se tornar outra pessoa, de viver uma nova vida. Ela inicia um flerte perigoso que a faz retornar aos momentos mais tenebrosos de sua vida, e assim põe em perigo tudo que ela mais ama.Enquanto eu estivesse fora é um romance cheio de suspense, amor e traição, no qual se mostra a precariedade das relações entre os seres humanos, que chegam a arriscar a perda de tudo aquilo que mais prezam.  

Após a trágica morte da esposa, o promotor Pen Cage volta com a filha para a casa dos pais em Natchez, sua cidade natal. Próspero, pacato, organizado, o lugarejo, parece resistir ileso à passagem do tempo. Tão logo chega, porém, Cage descobre que a ilusória harmonia encobre um ambiente de violência que não poupa sequer seus pais, chantageados por um ex-policial corrupto. Para proteger sua família, ele mergulha numa investigação que o conduz a um crime ocorrido há mais de trinta anos, estranhamente arquivado pelo FBI: o brutal assassinato de um negro. O principal suspeito é Leo Marston, um juiz muito bem relacionado com o poder oficial. Decidido a levá-lo a qualquer custo ao banco dos réus, Cage passa a enfrentar não apenas o ódio de eu adversário, mas a hostilidade da cidade, tendo a seu lado apenas a oprimida comunidade negra do Mississipi, sedenta de justiça , e a jovem editora do jornal local, ávida por uma boa história.

 No livro de estréia de Aravind Adiga, o leitor conhece Balrma Halwai, filho de um puxador de riquixá, disposto a fazer qualquer coisa para subir na vida. O principal foco neste romance é a população pobre da India, que ficaram de fora do boom econômico daquele país. O mote principal do livro é a miséira que atinge o povo e da qual não se consegue escapar pois não interessa o desejo de fuga. Porém Balram tem o sonho de sair da miséria e ingressa numa jornada em Délhi e Bangalore, disposto a fazer de tudo para subir na vida.

Narrativa que impressiona leitores do mundo todo pela intemporalidade de temas que fazer de Poliana uma obra eterna e ainda hoje um grande sucesso, pois resgata valores pessoais como bondade, respeito e solidariedade. É a comovente história de Poliana, órfã de pai e mãe, que vive muitas dificuldades mas aprende com o pai, um homem sábio, o "jogo do contente", que a fortalece no dia-a-dia. Então o ensina aos outros para transmitir algo bom. A obra desencadeou nos EUA e no mundo uma impressionante onda de esperança, otimismo, boa vontade e sensibilidade às questões alheias. Uma verdadeira batalha de humanização!! 

A menina dos olhos de ouro, publicado originalmente em 1835, é o terceiro romance da trilogia História dos Treze que inclui ainda Ferragus e A duquesa de Langeais. São romances autônomos, histórias diferentes cujo fio condutor é a existência, nos bastidores das tramas, de uma sociedade secreta, Os treze Devoradores, espécie de confraria cujos membros juravam ajudarem-se entre si. Em A menina dos olhos de ouro, Henri de Marsay – uma espécie de Don Juan, culto, belo, cínico, aristocrata que sabe como poucos mover-se na complexa sociedade do período da restauração da monarquia na França, após a queda de Napoleão – apaixona-se loucamente por Paquita Valdès, sem saber, no entanto, quem a menina dos olhos de ouro verdadeiramente era. A cidade Paris comparece majestosa e sombria nesse romance, do qual ela é praticamente uma personagem.

As suspeitas começaram quando Mr. Utterson, um circunspecto advogado londrino, leu o testamento de seu velho amigo Henry Jekyll. Qual era a relação entre o respeitável Dr. Jekyll e o diabólico Edward Hyde? Quem matou Sir Danvers, o ilustre membro do parlamento londrino?
Assim começa uma das mais célebres histórias de horror da literatura mundial. A história assustadora do infernal alter ego do Dr. Jekyll e da busca através das ruas escuras de Londres que culmina numa terrível revelação.
O escocês Robert Louis Stevenson é considerado um dos maiores escritores da literatura mundial. Inexcedível no gênero de romances de aventuras, é autor de A ilha do tesouro, um dos livros mais célebres de todos os tempos (1883). O médico e o monstro é um clássico entre os clássicos de horror e mistério. Stevenson escreveu ainda O raptado, As aventuras de David Balfour, O morgado de Ballantrae, entre outros.

E, também fiz aquisições em um sebo no centro da cidade, onde encontrei dois exemplares de clássicos novinhos e em lindas edições de capa dura:
 Este livro conta a história de Lemuel Gulliver, um médico aventureiro que abandonou sua família, na Inglaterra, para desbravar novas terras, que depois de naufrágios e tormentas, acaba aportando em terras muito estranhas. Ele vai a Lilipute, onde as pessoas não medem mais de 15 centímetros; depois chega a Brobdingnag, onde as pessoas têm a altura de torres de igreja; e vai ainda ao País dos Houyhnhnms, onde os habitantes mais importantes são cavalos, não homens. 

A narrativa de Um Conto de Duas Cidades - que se refere a Londres e Paris - tem início em 1775, quando começam a germinar os movimentos que culminariam na Revolução Francesa. Em meio a grandes injustiças e abusos por parte da nobreza, os camponeses e artesãos conformam-se com as injúrias, sabedores de que o tempo da vingança está próximo. Considerado um clássico da literatura inglesa do século XIX, Um Conto de Duas Cidades trata ao mesmo tempo da realidade da Inglaterra e da França revolucionária. Dickens toma como ponto de referência a Revolução Francesa para apontar os problemas sociais e políticos da Inglaterra, pois temia que a história se repetisse em seu país quando escrevia o romance.

Nenhum comentário:

Postar um comentário