Páginas

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Resenha: A Marca do Assassino - Daniel Silva

Como eu já disse antes adoro feira do livro - sempre faço ótimas aquisições.

Aqui em Floripa, além de boas livrarias, temos pelo menos duas feiras do livro: uma depois do verão (em março, abril) e outra em dezembro, isso sem contar outras feiras em praças e nas universidades e claro os sebos. Não são feiras grandes e nem com muita variedade, mas dá para se divertir um pouco ; )

Como os preços são bons, sempre compro muitos livros (gastando poucos níqueis $$) e vou lendo ao longo do ano (ou até a próxima feira!). Porém alguns livros 'devoro' em pouco tempo. Foi o caso dos livros do Daniel Silva. Em 2009 haviam três obras dele em grande quantidade e com preço bom. Comprei um para ver qual que era, se ia gostar do autor, do estilo, da história. Era A Marca do Assassino (paguei R$ 5,00 - baratinho: ADORO!), sai da feira e fui para o trabalho lendo, li no ônibus e não desgrudei do livro antes de terminar. No dia seguinte voltei a feira e comprei  os outros títulos do mesmo autor que estavam em promoção por lá. Li e gostei. 

Em A marca do assassino Daniel Silva apresenta Michel Osbourne, agente de contra-espionagem da CIA especialista em conflitos no Oriente Médio, e o assassino sem nome e sem rosto, conhecido apenas pelo codinome de Outubro, cuja marca é matar suas vítimas com três tiros no rosto.
Osbourne fica encarregado de investigar o atentado ao jato da Transatlantic Airlines e descobre um corpo próximo ao local da queda do avião com três tiros no rosto, a marca 'registrada' do assassino profissional Outubro. A descoberta do envolvimento de Outubro no atentado, fazem com que Osbourne desenvolva uma certa obsessão não apenas em descobrir o mistério que envolve a queda do avião, mas a captura de Outubro. Conforme Ousbourne segue o rastro dos crimes de Outubro e chega mais próximo da verdade, sua vida e de sua família são postas em risco. 
A Sociedade, responsável pelo atentado,  é formada por um grupo de homens com muito poder e influencia, capazes de qualquer ato para manipular os acontecimentos a favor de seus interesses.
Com um misto de ações terrorristas, crimes aparentemente isolados e jogo de interesses políticos e comerciais, Daniel Silva 'tece' uma história de ficção onde destacam-se as ações de manipulação de acontecimentos e de informações para conduzir os fatos e desviar a atenção de outros acontecimentos.
 
Título: A Marca do Assassino. 
Autor: Daniel Silva
Editora: Rocco
Edição: 1999
Páginas: 313p. 
ISBN 85-325-1072-8.

Sinopse:
Quando o vôo 002 da Transatlantic Airlines, pouco depois de decolar do aeroporto JFK, em Nova York , é atingido por um míssil e cai no mar, as suspeitas que recaem sobre o grupo palestino A espada de Gaza logo se mostrarão infundadas.
No rastro de um segredo que irá incomodá-lo e fazê-lo abrir mão do trabalho meramente burocrático, Michael Osbourne, agente da CIA nomeado para conduzir as investigações, se depara com um grupo clandestino denominado A Sociedade e com um impiedoso matador profissional cuja missão era silenciar todos que, por algum motivo, pudessem saber da verdade sobre a queda do jato americano.
Em cada corpo, três tiros no rosto; a marca característica do assassino, que podia ser reconhecida ao longo dos anos e países. Ao longo de uma trama habilmente elaborada Daniel Silva apresenta ao leitor uma rede de intriga, poder e política repleta de suspense e desfechos nem sempre previsíveis.

Um comentário: